Project Description

Academy Hack Ambev Tech: conheça este desafio de inovação aberta

Casos de Sucesso

“Nós percebemos um comprometimento muito forte da Haze Shift. Um senso de [dor de] dono muito legal. Sem a Haze Shift não teríamos um evento desse tamanho e qualidade. A expertise foi imprescindível para executar esse projeto .”

Ronaldo Schork, Gerente de Inovação , Ronaldo Schork, Gerente de Inovação

“A Haze Shift teve como grande diferencial a capacidade de atender nosso público-alvo, e se preocupou em nos ouvir. O relacionamento com o time foi muito bom e o sentimento de vestir a camisa foi bem bacana. A carga de experiência da Haze Shift contribuiu para que tivéssemos valores agregados. “

Daniel Theisges, Pesquisador, Daniel Theisges, Pesquisador
  • Cliente: Ambev Tech

  • Trabalho: Inovação Aberta

Contexto

Uma das maiores indústrias cervejeiras do planeta, a Ambev tem boa parte de suas operações digitalizadas e demanda rotineiramente por soluções inovadoras. Por isso, a companhia buscou, por meio de seu hub de tecnologia e inovação, a Ambev Tech, ampliar ainda mais seu relacionamento com universidades e atrair talentos de graduação e pós-graduação das áreas de tecnologia, computação, programação e correlatas. 

Para atender a essa demanda, a Ambev Tech resolveu apostar em novos projetos de inovação aberta. Para apoiar nessa ação externa de promoção do relacionamento com o ecossistema universitário, nós da Haze Shift auxiliamos a empresa na co-criação de um novo programa.

O Desafio de Inovação Aberta ABI Academy Hack 

Para promover o programa e atingir o objetivo de atrair talentos à empresa, nós da Haze Shift e a Ambev Tech criamos um desafio de inovação aberta chamado ABI Academy Hack. Alunos de todo o Brasil das áreas tecnológicas tiveram a chance de participar do programa, que teve um lema claro e direto: Solve a Real Business Problem with Tecnology (em português: Resolva um problema real de negócios com tecnologia). 

Objetivos e metodologia 

A partir do programa de inovação aberta Academy Hack, a Ambev Tech tinha quatro valores/objetivos em mente. 

O primeiro era formar uma rede de relacionamentos com intuições de ensino, alunos, professores e coordenadores de curso. 

Além disso, a Ambev buscou desenvolver, a partir do próprio evento, novos algoritmos para solucionar problemas locais (Brasil) e globais. 

Um terceiro ponto foi prospectar talentos pelo programa. 

Além de formar uma comunidade de embaixadores nas universidades para novas ações da empresa nas instituições de ensino. 

Especificamente para o Academy Hack, o programa teve metodologia dividida em cinco etapas: 

  • Pré-projeto: entre julho e agosto de 2021, construímos os planos e as metas do programa e fizemos um workshop de co-criação entre Haze Shift e Ambev Tech. 
  • Conexão: durante essa fase, em paralelo ao pré-projeto, ocorreu a execução de eventos de sensibilização, sendo mais de 30 remotos de conexão com universidades e seleção de embaixadores, além de definição de plataformas que iriam compor o programa, incluindo a plataforma de realização de desafios de inovação aberta Taikai, parceira da Haze Shift. 
  • Inscrição: durante essa fase, em todo o mês de setembro, além da divulgação do evento, já começamos a gestão das inscrições e a criação das trilhas de conteúdo, além do lançamento oficial do projeto para a comunidade.  
  • Ideação e Prototipação: durante essa fase, os participantes se dividiram em equipes e tiveram um mês para concluir a fase de ideias e protótipos, o que contou com a realização de 49 mentorias por 12 mentores da Ambev e da Haze Shift.  
  • Demoday: em um evento virtual de 3h30, foram definidas seis equipes vencedoras. 

Trilhas de conteúdo 

Ao se inscreverem no programa, os participantes formaram equipes e puderam optar por duas trilhas de desenvolvimento de projetos. Dentro de cada trilha, novamente as equipes puderam eleger um desafio para desenvolver uma solução tecnológica. Assim, o Academy Hack pode escolher seis soluções vencedoras. A banca do júri elegeu primeiro, segundo e terceiro lugar para cada trilha de conteúdo. 

Confira os desafios inseridos em cada trilha: 

Desafios da Trilha 1 – Sistemas de Recomendação e Otimização 

  • Venda Cruzada / Adicional: a partir da compreensão dos pontos de venda (PDVs), como bares, as equipes que escolheram esse desafio precisariam desenvolver um sistema de recomendação que aumentasse as vendas cruzadas de novos ou produtos já existentes da Ambev. 
  • Distribuição de Estoque: construção de novo algoritmo para otimizar a distribuição de estoque entre depósitos e cervejarias. 
  • Descontos Personalizados: desenvolvimento de modelo inteligente para recomendação de descontos personalizados. 

Desafios da Trilha 2 – Inteligência Artificial  

  • Construção de Modelo OCR (Optical Character Recognition): meta de desenvolver um algoritmo que extraísse textos de faturas oriundas de diversos fornecedores, e que muitas vezes chegam em formatos de imagens. 
  • Camada de Tradução de Idiomas: criação de API capaz de traduzir palavras-chave específicas do contexto cervejeiro para os idiomas inglês e espanhol. 
  • Interactive Voice Response: criação de um novo Chatbot e Aplicativo de Resposta de Voz Interativa para simplificação de processos como pagamento, consultas e pedidos de fornecedores. 

Resultados 

Ao todo, 245 alunos de 70 universidades em 17 estados brasileiros se inscreveram no desafio de inovação aberta, sendo que a fase de inscrição contou com 38 projetos submetidos à plataforma Taikai. A Ambev teve, neste projeto, 22 universidades parceiras com 22 alunos embaixadores, além de mais de 25 professores e coordenadores das instituições de ensino envolvidas com o desafio. Confira a origem dos participantes: 

Uma amostra do potencial do Academy Hack foi a audiência do evento de lançamento, que superou 1,1 mil visualizações no YouTube. Já os sete eventos de conexão dos desafios, somados, tiveram mais de 2.100 visualizações. 

Os números acima mostram que o objetivo de conexão com universidades e formação de alunos embaixadores foi amplamente cumprido. Além disso, no Demoday, que teve um total de 10 projetos apresentando pitches, as seis equipes vencedoras do programa também mostram sucesso no cumprimento da meta de criar soluções em algoritmos. Foram elas:  

Sistemas de Recomendação e Otimização 

1º lugar – Projeto Boa: abordagem para solucionar problemas da cadeia de suprimentos. Clique para saber mais sobre o projeto na plataforma Taikai. 

2º lugar – DNA Recomendado: sistema que otimiza a distribuição de estoque entre depósitos e cervejarias. Saiba mais aqui

3º Lugar – Discont Leverage: sistema que utiliza machine learning para criar perfis de compradores por meio de dados cadastrados para recomendação de descontos personalizados. Conheça o projeto neste link

Inteligência Artificial  

1º lugar – IT-IT: a equipe criou um sistema capaz de fazer a identificação e transcriação de imagens em texto, por meio do reconhecimento de padrões. Saiba mais sobre o projeto na plataforma Taikai. 

2º lugar – Tradução FRV: o projeto traduz automaticamente termos relevantes no contexto da Ambev de diversos idiomaas para um idioma central, no caso, o Português. Saiba mais aqui

3º lugar – OCR-InRe: aplicação web que faz a leitura de imagens de faturas para extrair informações. Conheça o projeto neste link

Grau de satisfação 

Ao final das etapas de Fase de inscrição e do Demoday, os participantes também tiveram a oportunidade de responder a pesquisas de satisfação, na qual foram questionados diversos itens, como: experiência com a plataforma Taikai, suporte da organização, interação, embaixadores, entre outros. Era possível dar de 1 a 5 estrelas por resposta. Em todos os casos, a média superou 4 estrelas.  

Com a palavra, o cliente: 

Nós percebemos um comprometimento muito forte da Haze Shift. Um senso de [dor de] dono muito legal. Sem a Haze Shift não teríamos um evento desse tamanho e qualidade. A expertise foi imprescindível para executar esse projeto. 

Ronaldo Schork – Gerente de Inovação 

A Haze Shift teve como grande diferencial a capacidade de atender nosso público-alvo, e se preocupou em nos ouvir. O relacionamento com o time foi muito bom e o sentimento de vestir a camisa foi bem bacana. A carga de experiência da Haze Shift contribuiu para que tivéssemos valores agregados. 

Daniel Theisges – Pesquisador

Ambev Tech: Desafio de Inovação Aberta Academy Hack 

Casos de Sucesso

  • Cliente: Ambev Tech

  • Trabalho: Inovação Aberta

Contexto

Uma das maiores indústrias cervejeiras do planeta, a Ambev tem boa parte de suas operações digitalizadas e demanda rotineiramente por soluções inovadoras. Por isso, a companhia buscou, por meio de seu hub de tecnologia e inovação, a Ambev Tech, ampliar ainda mais seu relacionamento com universidades e atrair talentos de graduação e pós-graduação das áreas de tecnologia, computação, programação e correlatas. 

Para atender a essa demanda, a Ambev Tech resolveu apostar em novos projetos de inovação aberta. Para apoiar nessa ação externa de promoção do relacionamento com o ecossistema universitário, nós da Haze Shift auxiliamos a empresa na co-criação de um novo programa.

O Desafio de Inovação Aberta ABI Academy Hack 

Para promover o programa e atingir o objetivo de atrair talentos à empresa, nós da Haze Shift e a Ambev Tech criamos um desafio de inovação aberta chamado ABI Academy Hack. Alunos de todo o Brasil das áreas tecnológicas tiveram a chance de participar do programa, que teve um lema claro e direto: Solve a Real Business Problem with Tecnology (em português: Resolva um problema real de negócios com tecnologia). 

Objetivos e metodologia 

A partir do programa de inovação aberta Academy Hack, a Ambev Tech tinha quatro valores/objetivos em mente. 

O primeiro era formar uma rede de relacionamentos com intuições de ensino, alunos, professores e coordenadores de curso. 

Além disso, a Ambev buscou desenvolver, a partir do próprio evento, novos algoritmos para solucionar problemas locais (Brasil) e globais. 

Um terceiro ponto foi prospectar talentos pelo programa. 

Além de formar uma comunidade de embaixadores nas universidades para novas ações da empresa nas instituições de ensino. 

Especificamente para o Academy Hack, o programa teve metodologia dividida em cinco etapas: 

  • Pré-projeto: entre julho e agosto de 2021, construímos os planos e as metas do programa e fizemos um workshop de co-criação entre Haze Shift e Ambev Tech. 
  • Conexão: durante essa fase, em paralelo ao pré-projeto, ocorreu a execução de eventos de sensibilização, sendo mais de 30 remotos de conexão com universidades e seleção de embaixadores, além de definição de plataformas que iriam compor o programa, incluindo a plataforma de realização de desafios de inovação aberta Taikai, parceira da Haze Shift. 
  • Inscrição: durante essa fase, em todo o mês de setembro, além da divulgação do evento, já começamos a gestão das inscrições e a criação das trilhas de conteúdo, além do lançamento oficial do projeto para a comunidade.  
  • Ideação e Prototipação: durante essa fase, os participantes se dividiram em equipes e tiveram um mês para concluir a fase de ideias e protótipos, o que contou com a realização de 49 mentorias por 12 mentores da Ambev e da Haze Shift.  
  • Demoday: em um evento virtual de 3h30, foram definidas seis equipes vencedoras. 

Trilhas de conteúdo 

Ao se inscreverem no programa, os participantes formaram equipes e puderam optar por duas trilhas de desenvolvimento de projetos. Dentro de cada trilha, novamente as equipes puderam eleger um desafio para desenvolver uma solução tecnológica. Assim, o Academy Hack pode escolher seis soluções vencedoras. A banca do júri elegeu primeiro, segundo e terceiro lugar para cada trilha de conteúdo. 

Confira os desafios inseridos em cada trilha: 

Desafios da Trilha 1 – Sistemas de Recomendação e Otimização 

  • Venda Cruzada / Adicional: a partir da compreensão dos pontos de venda (PDVs), como bares, as equipes que escolheram esse desafio precisariam desenvolver um sistema de recomendação que aumentasse as vendas cruzadas de novos ou produtos já existentes da Ambev. 
  • Distribuição de Estoque: construção de novo algoritmo para otimizar a distribuição de estoque entre depósitos e cervejarias. 
  • Descontos Personalizados: desenvolvimento de modelo inteligente para recomendação de descontos personalizados. 

Desafios da Trilha 2 – Inteligência Artificial  

  • Construção de Modelo OCR (Optical Character Recognition): meta de desenvolver um algoritmo que extraísse textos de faturas oriundas de diversos fornecedores, e que muitas vezes chegam em formatos de imagens. 
  • Camada de Tradução de Idiomas: criação de API capaz de traduzir palavras-chave específicas do contexto cervejeiro para os idiomas inglês e espanhol. 
  • Interactive Voice Response: criação de um novo Chatbot e Aplicativo de Resposta de Voz Interativa para simplificação de processos como pagamento, consultas e pedidos de fornecedores. 

Resultados 

Ao todo, 245 alunos de 70 universidades em 17 estados brasileiros se inscreveram no desafio de inovação aberta, sendo que a fase de inscrição contou com 38 projetos submetidos à plataforma Taikai. A Ambev teve, neste projeto, 22 universidades parceiras com 22 alunos embaixadores, além de mais de 25 professores e coordenadores das instituições de ensino envolvidas com o desafio. Confira a origem dos participantes: 

Uma amostra do potencial do Academy Hack foi a audiência do evento de lançamento, que superou 1,1 mil visualizações no YouTube. Já os sete eventos de conexão dos desafios, somados, tiveram mais de 2.100 visualizações. 

Os números acima mostram que o objetivo de conexão com universidades e formação de alunos embaixadores foi amplamente cumprido. Além disso, no Demoday, que teve um total de 10 projetos apresentando pitches, as seis equipes vencedoras do programa também mostram sucesso no cumprimento da meta de criar soluções em algoritmos. Foram elas:  

Sistemas de Recomendação e Otimização 

1º lugar - Projeto Boa: abordagem para solucionar problemas da cadeia de suprimentos. Clique para saber mais sobre o projeto na plataforma Taikai. 

2º lugar - DNA Recomendado: sistema que otimiza a distribuição de estoque entre depósitos e cervejarias. Saiba mais aqui

3º Lugar - Discont Leverage: sistema que utiliza machine learning para criar perfis de compradores por meio de dados cadastrados para recomendação de descontos personalizados. Conheça o projeto neste link

Inteligência Artificial  

1º lugar – IT-IT: a equipe criou um sistema capaz de fazer a identificação e transcriação de imagens em texto, por meio do reconhecimento de padrões. Saiba mais sobre o projeto na plataforma Taikai. 

2º lugar – Tradução FRV: o projeto traduz automaticamente termos relevantes no contexto da Ambev de diversos idiomaas para um idioma central, no caso, o Português. Saiba mais aqui

3º lugar – OCR-InRe: aplicação web que faz a leitura de imagens de faturas para extrair informações. Conheça o projeto neste link

Grau de satisfação 

Ao final das etapas de Fase de inscrição e do Demoday, os participantes também tiveram a oportunidade de responder a pesquisas de satisfação, na qual foram questionados diversos itens, como: experiência com a plataforma Taikai, suporte da organização, interação, embaixadores, entre outros. Era possível dar de 1 a 5 estrelas por resposta. Em todos os casos, a média superou 4 estrelas.  

Com a palavra, o cliente: 

"Nós percebemos um comprometimento muito forte da Haze Shift. Um senso de [dor de] dono muito legal. Sem a Haze Shift não teríamos um evento desse tamanho e qualidade. A expertise foi imprescindível para executar esse projeto .”

Ronaldo Schork, Gerente de Inovação , Ronaldo Schork, Gerente de Inovação

"A Haze Shift teve como grande diferencial a capacidade de atender nosso público-alvo, e se preocupou em nos ouvir. O relacionamento com o time foi muito bom e o sentimento de vestir a camisa foi bem bacana. A carga de experiência da Haze Shift contribuiu para que tivéssemos valores agregados. "

Daniel Theisges, Pesquisador, Daniel Theisges, Pesquisador

CONTEÚDO RELACIONADO

VER TODOS