Project Description

Workshop Indústria 4.0 na São Martinho: a estratégia antes, durante e depois

Casos de Sucesso

Nós acreditamos muito nas metodologias e ferramentas de gerenciamento da rotina e da automação industrial. Esses elementos juntos, formando a digitalização de processos, nos permitirá, nos próximos anos, coletar dados e disseminar conhecimento gerando valor para a Organização. E a Haze Shift apresentou uma metodologia de trabalho que nos permitiu programarmos nossa agenda minuto a minuto a fim de que pudessemos executá-la como esperávamos na São Martinho. Em conjunto com a Haze Shift conseguimos colher os insumos necessários para elaboração do nosso planejamento estratégico.

“O projeto de Indústria 4.0 da São Martinho foi bastante desafiador. Fui co-facilitador da etapa presencial e foram reunidos cerca de 50 colaboradores de vários níveis hierárquicos para fazer uma cocriação. O grande desafio era alinhar o conceito da Indústria 4.0 no mundo e como transformar esse conceito e essa execução dentro da São Martinho. Então, em conjunto com o cliente, fizemos esse alinhamento por meio de palestras e também com um workshop utilizando post its onde  os participantes criaram uma visão única dos Fundamentos da Indústria 4.0 na Organização para os próximos anos. Para validar esses Fundamentos, conduzimos uma oficina de prototipação utilizando massinhas de modelar. Essa cocriação gerou uma proposta de Indústria 4.0 para a São Martinho para os próximos anos e um senso de pertencimento inigualável. Foi muito gratificante!”

  • Cliente: São Martinho

  • Trabalho: Cultura de Inovação

Contexto

A São Martinho é um dos maiores grupos sucroalcooleiros do mundo. Uma empresa que hoje é referência no mercado e que tem cada vez mais buscado inovar e se transformar.

A companhia possui vários desafios para continuar trilhando esse caminho da inovação e transformação do negócio, e um dos temas é a indústria 4.0. Nesse contexto gestores e equipes foram convidados a participarem de um evento de um dia para serem sensibilizados, e chamados para compartilharem suas visões sobre o tema para construírem uma visão comum.

Objetivo do cliente

A companhia definiu 3 objetivos prioritários para este encontro com os gestores. O 1º foi de alinhar os conceitos e aplicações da Indústria 4.0 no mundo; o 2º de definir os principais norteadores estratégicos para os próximos anos, e o 3º e mais importante, realizar a co-criação e validação da visão comum de indústria 4.0 na São Martinho., Para esta importante missão, nós da Haze Shift promovemos nesta parceria, por meio do Workshop, um grande desafio de co-criação.

O desafio: São Martinho e a Indústria 4.0

Com quatro usinas (três em SP e uma em GO) e 12,5 mil colaboradores, a São Martinho é uma das maiores indústrias com capacidade de moagem de cana do Brasil para produção de etanol, açúcar e energia elétrica. A empresa possui diversos desafios, entre eles continuar sua trilha de inovação e busca pela transformação digital do negócio por meio do conceito de Indústria 4.0.

Saiba mais: O que é Indústria 4.0 e o que falta ao Brasil para sair da Terceira Revolução Industrial

Para conseguir disseminar conhecimentos sobre o tema por toda a empresa, a São Martinho buscou a parceria da Haze Shift para elaborar uma estratégia capaz de tornar seus próprios colaboradores disseminadores de conhecimentos. Isso foi feito de forma híbrida, por meio de encontros online e um Workshop Indústria 4.0, que ocorreu presencialmente em novembro, com duração de quase 8 horas com mais de 30 representantes-chave, de diferentes áreas da empresa.

Como trabalhamos a inovação

Para que o evento fosse um sucesso, nós da Haze Shift montamos um plano estratégico que contemplou diversas frentes, incluindo treinamentos para seis colaboradores da São Martinho atuarem como co-facilitadores do Workshop. Por isso, o modelo de trabalho foi dividido em três frentes.

  1. Antes do Workshop (preparação). onde fizemos uma mensuração dos objetivos e resultados esperados e a execução de três encontros de preparação e de treinamento de co-facilitadores.
  1. Durante o Workshop. Um dia inteiro com dinâmicas durante todo o workshop, com a presença de dois facilitadores da Haze Shift e seis co-facilitadores da São Martinho para direcionar a metodologia apresentada.
  1. Depois do Workshop. Realização de pesquisa de satisfação dos participantes, relatório de insights e de resultados, além de uma sessão de feedback com o cliente.

Saiba mais: Como aplicar a Gestão do Conhecimento à Indústria 4.0 com exemplos práticos

7P’s de preparação do Workshop Indústria 4.0 da São Martinho

Para a melhor compreensão de todo o time envolvido na organização do evento da São Marinho, nós da Haze Shift fizemos a divisão de 7P’s de preparação do Workshop Indústria 4.0:

  1. Propósito: esta etapa levou em conta o engajamento dos colaboradores necessários para discutir os processos industriais da São Martinho com base na Transformação Digital. Nós da Haze Shift apoiamos o cliente na sensibilização e adaptação do conceito Indústria 4.0 para a indústria sucroalcooleira;
  2. Produto: trazer à São Martinho uma visão coletiva da indústria 4.0 no mundo e uma visão comum sobre o tema dentro da própria empresa, traçando os principais norteadores estratégicos para o projeto;
  3. Participantes: seleção dos participantes-chave para o projeto, tanto na co-facilitação quanto na participação geral do evento, dos níveis de diretoria, gestores tomadores de decisão no nível tático, Engenharia de Processos e de Manutenção e áreas de apoio, além de definição de palestrantes externos.
  4. Processo: Definição de agenda para criação do produto, com a organização da pauta de todas as palestras e oficinas minuto a minuto de forma a garantir a participação de todos durante todo o evento.
  5. Preparação: realização de sessões de treinamento de colaboradores selecionados para atuarem como co-facilitadores, além de envio de vídeo convite alguns dias antes do evento para os participantes do evento e envio de brindes para os que confirmaram presença no evento.
  6. Preocupações práticas: apresentação dos conteúdos a serem ministrados pelos palestrantes e definição do formato presencial, tendo como um dos objetivos a integração de colaboradores das usinas, que não têm muita convivência entre si.
  7. Pitfalls (Riscos): o encontro teve a participação de pessoas pragmáticas e gestores com alto nível de cobrança, até então com pensamento de curto prazo para alcançar metas, o que exigia uma mudança de visão. Também houve a preocupação de que as pessoas contribuíssem ao máximo, dando a liberdade de que opiniões contrárias fossem plenamente respeitadas.

Treinamento de co-facilitadores

Em três sessões de treinamentos para co-facilitadores, os seis colaboradores selecionados para essa etapa receberam todas as informações necessárias sobre como atuariam no Workshop Indústria 4.0.

O objetivo desse processo foi apresentar nos detalhes o funcionamento de cada dinâmica e a forma com que cada um deveria atuar. O co-facilitador tem a função de liderar o grupo designado para atingimento do resultado do workshop, também atuando como guia para que as pessoas pudessem se inspirar e levar as dúvidas dos grupos, durante a execução, aos facilitadores da Haze Shift.

Saiba mais: Indústria 4.0 depende da gestão de pessoas para transformar dados em conhecimento

Na primeira sessão, realizada virtualmente, além de serem apresentados ao time Haze Shift e ao projeto, os co-facilitadores ficaram cientes sobre seu papel, e as competências que precisariam realizar. Eles participaram de uma Oficina de Criatividade, na qual foram apresentados às Competências Comportamentais para o Futuro do Trabalho, e conheceram algumas das principais técnicas de facilitação e criatividade existentes.

Já na segunda sessão, os co-facilitadores conheceram mais a fundo como funcionaria a dinâmica e as diferentes fases do Workshop. Eles também receberam treinamento sobre como funciona a ferramenta Mentimeter, que foi utilizada para a realização de apresentações interativas, onde todos podem enviar perguntas de forma dinâmica, em tempo real, por computador ou smartphone. Além disso, nós da Haze Shift oferecemos uma oficina de Cocriação de Visão sobre Indústria 4.0.

Na terceira sessão, os co-facilitadores receberam treinamentos específicos sobre as oficinas que seriam realizadas no Workshop, denominadas: Definição de Fundamentos da Indústria 4.0 e Conectando os Fundamentos. Esta última faz o uso de massa de modelar para tornar palpável a experiência de aprendizado.

Durante o Workshop

Os 30 participantes da São Martinho selecionados para o Workshop Indústria 4.0 acompanharam uma apresentação geral da Liderança da empresa e dos dois facilitadores da equipe da Haze Shift. Logo após, aconteceu a primeira palestra sobre a Indústria 4.0 no mundo, um intervalo e uma nova palestra sobre aplicações práticas da Indústria 4.0. Na sequência, foi a hora de colocar a mão na massa, literalmente.

Os participantes foram divididos em 5 equipes e realizaram as duas oficinas para as quais os co-facilitadores foram treinados (Definição de Fundamentos da Indústria 4.0 e Conectando os Fundamentos).

Tudo foi feito de forma dinâmica. Os participantes destacaram os elementos fundamentais sobre a Indústria 4.0 na São Martinho. Eles também, compartilharam e conectaram com os demais os fundamentos observados e criaram protótipos usando massinha de modelar, o que possibilitou validar e gerar as conexões em um grande ecossistema.

Com essa dinâmica de aprendizado, os selecionados para participar do Workshop conseguiram identificar e convergir os fundamentos (também chamados de pilares) da Indústria 4.0 na São Martinho.

Resultados

Nós da Haze Shift acreditamos que a experiência do ambiente colaborativo através de novas práticas e ferramentas podem dar impulsos para a cultura da inovação da São Martinho e que essa jornada de aprendizagem gera por si só um melhor ambiente de trabalho, mais colaborativo, que apoia a quebra de paradigmas e que desafia o status quo. Para manter viva essa cultura de alto impacto e transformação digital em prol da Indústria 4.0, fizemos algumas recomendações, confira:

  • Comunicação dos fundamentos identificados para a empresa, em especial em cerimônias;
  • Integrar os Fundamentos da Indústria 4.0 à estratégia corporativa;
  • Desdobramento dos Fundamentos em objetivos, métricas e metas para todos os níveis do grupo
  • Criar iniciativas com base nos Fundamentos identificados em todas as áreas da empresa.

Workshop Indústria 4.0 na São Martinho: a estratégia antes, durante e depois

Casos de Sucesso

  • Cliente: São Martinho

  • Trabalho: Cultura de Inovação

Contexto

A São Martinho é um dos maiores grupos sucroalcooleiros do mundo. Uma empresa que hoje é referência no mercado e que tem cada vez mais buscado inovar e se transformar.

A companhia possui vários desafios para continuar trilhando esse caminho da inovação e transformação do negócio, e um dos temas é a indústria 4.0. Nesse contexto gestores e equipes foram convidados a participarem de um evento de um dia para serem sensibilizados, e chamados para compartilharem suas visões sobre o tema para construírem uma visão comum.

Objetivo do cliente

A companhia definiu 3 objetivos prioritários para este encontro com os gestores. O 1º foi de alinhar os conceitos e aplicações da Indústria 4.0 no mundo; o 2º de definir os principais norteadores estratégicos para os próximos anos, e o 3º e mais importante, realizar a co-criação e validação da visão comum de indústria 4.0 na São Martinho., Para esta importante missão, nós da Haze Shift promovemos nesta parceria, por meio do Workshop, um grande desafio de co-criação.

O desafio: São Martinho e a Indústria 4.0

Com quatro usinas (três em SP e uma em GO) e 12,5 mil colaboradores, a São Martinho é uma das maiores indústrias com capacidade de moagem de cana do Brasil para produção de etanol, açúcar e energia elétrica. A empresa possui diversos desafios, entre eles continuar sua trilha de inovação e busca pela transformação digital do negócio por meio do conceito de Indústria 4.0.

Saiba mais: O que é Indústria 4.0 e o que falta ao Brasil para sair da Terceira Revolução Industrial

Para conseguir disseminar conhecimentos sobre o tema por toda a empresa, a São Martinho buscou a parceria da Haze Shift para elaborar uma estratégia capaz de tornar seus próprios colaboradores disseminadores de conhecimentos. Isso foi feito de forma híbrida, por meio de encontros online e um Workshop Indústria 4.0, que ocorreu presencialmente em novembro, com duração de quase 8 horas com mais de 30 representantes-chave, de diferentes áreas da empresa.

Como trabalhamos a inovação

Para que o evento fosse um sucesso, nós da Haze Shift montamos um plano estratégico que contemplou diversas frentes, incluindo treinamentos para seis colaboradores da São Martinho atuarem como co-facilitadores do Workshop. Por isso, o modelo de trabalho foi dividido em três frentes.

  1. Antes do Workshop (preparação). onde fizemos uma mensuração dos objetivos e resultados esperados e a execução de três encontros de preparação e de treinamento de co-facilitadores.
  1. Durante o Workshop. Um dia inteiro com dinâmicas durante todo o workshop, com a presença de dois facilitadores da Haze Shift e seis co-facilitadores da São Martinho para direcionar a metodologia apresentada.
  1. Depois do Workshop. Realização de pesquisa de satisfação dos participantes, relatório de insights e de resultados, além de uma sessão de feedback com o cliente.

Saiba mais: Como aplicar a Gestão do Conhecimento à Indústria 4.0 com exemplos práticos

7P’s de preparação do Workshop Indústria 4.0 da São Martinho

Para a melhor compreensão de todo o time envolvido na organização do evento da São Marinho, nós da Haze Shift fizemos a divisão de 7P’s de preparação do Workshop Indústria 4.0:

  1. Propósito: esta etapa levou em conta o engajamento dos colaboradores necessários para discutir os processos industriais da São Martinho com base na Transformação Digital. Nós da Haze Shift apoiamos o cliente na sensibilização e adaptação do conceito Indústria 4.0 para a indústria sucroalcooleira;
  2. Produto: trazer à São Martinho uma visão coletiva da indústria 4.0 no mundo e uma visão comum sobre o tema dentro da própria empresa, traçando os principais norteadores estratégicos para o projeto;
  3. Participantes: seleção dos participantes-chave para o projeto, tanto na co-facilitação quanto na participação geral do evento, dos níveis de diretoria, gestores tomadores de decisão no nível tático, Engenharia de Processos e de Manutenção e áreas de apoio, além de definição de palestrantes externos.
  4. Processo: Definição de agenda para criação do produto, com a organização da pauta de todas as palestras e oficinas minuto a minuto de forma a garantir a participação de todos durante todo o evento.
  5. Preparação: realização de sessões de treinamento de colaboradores selecionados para atuarem como co-facilitadores, além de envio de vídeo convite alguns dias antes do evento para os participantes do evento e envio de brindes para os que confirmaram presença no evento.
  6. Preocupações práticas: apresentação dos conteúdos a serem ministrados pelos palestrantes e definição do formato presencial, tendo como um dos objetivos a integração de colaboradores das usinas, que não têm muita convivência entre si.
  7. Pitfalls (Riscos): o encontro teve a participação de pessoas pragmáticas e gestores com alto nível de cobrança, até então com pensamento de curto prazo para alcançar metas, o que exigia uma mudança de visão. Também houve a preocupação de que as pessoas contribuíssem ao máximo, dando a liberdade de que opiniões contrárias fossem plenamente respeitadas.

Treinamento de co-facilitadores

Em três sessões de treinamentos para co-facilitadores, os seis colaboradores selecionados para essa etapa receberam todas as informações necessárias sobre como atuariam no Workshop Indústria 4.0.

O objetivo desse processo foi apresentar nos detalhes o funcionamento de cada dinâmica e a forma com que cada um deveria atuar. O co-facilitador tem a função de liderar o grupo designado para atingimento do resultado do workshop, também atuando como guia para que as pessoas pudessem se inspirar e levar as dúvidas dos grupos, durante a execução, aos facilitadores da Haze Shift.

Saiba mais: Indústria 4.0 depende da gestão de pessoas para transformar dados em conhecimento

Na primeira sessão, realizada virtualmente, além de serem apresentados ao time Haze Shift e ao projeto, os co-facilitadores ficaram cientes sobre seu papel, e as competências que precisariam realizar. Eles participaram de uma Oficina de Criatividade, na qual foram apresentados às Competências Comportamentais para o Futuro do Trabalho, e conheceram algumas das principais técnicas de facilitação e criatividade existentes.

Já na segunda sessão, os co-facilitadores conheceram mais a fundo como funcionaria a dinâmica e as diferentes fases do Workshop. Eles também receberam treinamento sobre como funciona a ferramenta Mentimeter, que foi utilizada para a realização de apresentações interativas, onde todos podem enviar perguntas de forma dinâmica, em tempo real, por computador ou smartphone. Além disso, nós da Haze Shift oferecemos uma oficina de Cocriação de Visão sobre Indústria 4.0.

Na terceira sessão, os co-facilitadores receberam treinamentos específicos sobre as oficinas que seriam realizadas no Workshop, denominadas: Definição de Fundamentos da Indústria 4.0 e Conectando os Fundamentos. Esta última faz o uso de massa de modelar para tornar palpável a experiência de aprendizado.

Durante o Workshop

Os 30 participantes da São Martinho selecionados para o Workshop Indústria 4.0 acompanharam uma apresentação geral da Liderança da empresa e dos dois facilitadores da equipe da Haze Shift. Logo após, aconteceu a primeira palestra sobre a Indústria 4.0 no mundo, um intervalo e uma nova palestra sobre aplicações práticas da Indústria 4.0. Na sequência, foi a hora de colocar a mão na massa, literalmente.

Os participantes foram divididos em 5 equipes e realizaram as duas oficinas para as quais os co-facilitadores foram treinados (Definição de Fundamentos da Indústria 4.0 e Conectando os Fundamentos).

Tudo foi feito de forma dinâmica. Os participantes destacaram os elementos fundamentais sobre a Indústria 4.0 na São Martinho. Eles também, compartilharam e conectaram com os demais os fundamentos observados e criaram protótipos usando massinha de modelar, o que possibilitou validar e gerar as conexões em um grande ecossistema.

Com essa dinâmica de aprendizado, os selecionados para participar do Workshop conseguiram identificar e convergir os fundamentos (também chamados de pilares) da Indústria 4.0 na São Martinho.

Resultados

Nós da Haze Shift acreditamos que a experiência do ambiente colaborativo através de novas práticas e ferramentas podem dar impulsos para a cultura da inovação da São Martinho e que essa jornada de aprendizagem gera por si só um melhor ambiente de trabalho, mais colaborativo, que apoia a quebra de paradigmas e que desafia o status quo. Para manter viva essa cultura de alto impacto e transformação digital em prol da Indústria 4.0, fizemos algumas recomendações, confira:

  • Comunicação dos fundamentos identificados para a empresa, em especial em cerimônias;
  • Integrar os Fundamentos da Indústria 4.0 à estratégia corporativa;
  • Desdobramento dos Fundamentos em objetivos, métricas e metas para todos os níveis do grupo
  • Criar iniciativas com base nos Fundamentos identificados em todas as áreas da empresa.

"Nós acreditamos muito nas metodologias e ferramentas de gerenciamento da rotina e da automação industrial. Esses elementos juntos, formando a digitalização de processos, nos permitirá, nos próximos anos, coletar dados e disseminar conhecimento gerando valor para a Organização. E a Haze Shift apresentou uma  metodologia de trabalho que nos permitiu programarmos nossa agenda minuto a minuto a fim de que pudessemos executá-la como esperávamos na São Martinho. Em conjunto com a Haze Shift conseguimos colher os insumos necessários para elaboração do nosso planejamento estratégico."

"O projeto de Indústria 4.0 da São Martinho foi bastante desafiador. Fui co-facilitador da etapa presencial e foram reunidos cerca de 50 colaboradores de vários níveis hierárquicos para fazer uma cocriação. O grande desafio era alinhar o conceito da Indústria 4.0 no mundo e como transformar esse conceito e essa execução dentro da São Martinho. Então, em conjunto com o cliente, fizemos esse alinhamento por meio de palestras e também com um workshop utilizando post its onde  os participantes criaram uma visão única dos Fundamentos da Indústria 4.0 na Organização para os próximos anos. Para validar esses Fundamentos, conduzimos uma oficina de prototipação utilizando massinhas de modelar. Essa cocriação gerou uma proposta de Indústria 4.0 para a São Martinho para os próximos anos e um senso de pertencimento inigualável. Foi muito gratificante!"

CONTEÚDO RELACIONADO

VER TODOS